Emissão NF-e

Dúvidas ainda rondam emissão da Nota Fiscal Eletrônica

admin : January 29, 2015 11:12 am : DANFE, Dúvidas, Nota Fiscal Eletrônica, Notícias

Criado em 2005, sistema facilita a vida tributária das empresas e evita problemas com a gerência de impostos.

duvidas_nota_fiscal_eletronicaRio – A implantação da nota fiscal eletrônica completa dez anos em 2015, mas os micro, pequenos e médios empreendedores ainda reclamam sobre a falta de informação sobre o processo de emissão, as etapas a serem cumpridas e quem está autorizado a emitir este tipo de nota fiscal. De acordo com as normas implementadas pelo Sistema Integrado Nacional de Informações Econômico Fiscais (Sinief), de julho de 2005, toda empresa precisa emitir o documento, através de um programa específico que é disponibilizado pelo fisco estadual.

“A Nota Fiscal Eletrônica, ou NF-e, como também é conhecida, otimiza os processos, trazendo maior eficiência e racionalidade, além de proporcionar maior organização à questão fiscal das empresas”, afirma Sonia Regina Izzo, consultora da IOB Sage. “Há mais praticidade, segurança e redução de custos”, destaca.

A Nota Fiscal Eletrônica, mais eficiente que a antiga de papel, é um documento emitido e transmitido eletronicamente. Assim, todos os processos relativos à nota de papel podem ser extintos da empresa. Em processo simplificado, todas as informações da nota são armazenadas no computador ou até mesmo em nuvem, o que reduz ainda mais a probabilidade de alguma perda de dados.

“Cada estado tem um sistema para gerar a Nota Fiscal Eletrônica. Os sistemas têm sido modernizados ao longo dos anos e, hoje, funcionamcomo se fossem sistemas operacionais de cálculo de impostos. Isso facilita muito para a empresa e para quem adquire algum produto ou serviço. Tudo é feito em tempo real e vai diretamente para o banco de dados dos fiscos estaduais”, explica Wellington Mota, diretor tributário da Confirp Consultoria Contábil.

Atualmente, a legislação nacional permite que a NF-e substitua apenas a chamada nota fiscal modelo 1 / 1A, que é utilizada, em regra, para documentar transações comerciais com mercadorias entre pessoas jurídicas. Vale destacar que a Nota Fiscal Eletrônica não se destina a substituir os outros modelos de documentos fiscais existentes na legislação como, por exemplo, a Nota Fiscal a Consumidor (modelo 2) ou o Cupom Fiscal, de emissão obrigatória.

“A nota eletrônica substitui a Nota Fiscal Modelo 1 e 1-A em todas as hipóteses previstas na legislação em que esses documentos possam ser utilizados. Isso inclui, por exemplo, a Nota Fiscal de Entrada, operações de importação, operações de exportação, operações interestaduais ou ainda operações de simples remessa”, destaca a consultora da IOB Sage Sonia Izzo, que alerta ainda que a nesses casos a nota em papel não tem validade.

Como aderir ao sistema

As empresas interessadas em emitir NF-e devem solicitar seu credenciamento como emissoras do documento na Secretaria da Fazenda em que possua estabelecimentos. Como lembra o consultor, o credenciamento em um estado não habilita a empresa perante os demais, o que leva muitas empresas a cometerem erros. Sendo assim, a empresa deve solicitar credenciamento em todos os estados em que possuir negócios e nos quais tenha que emitir notas fiscais.

Além disso, a empresa precisa possuir certificação digital do tipo A1 (arquivo digital armazenado no computador) ou A3 (dispositivo físico do tipo smart card ou do tipo token), que contenha o CNPJ de qualquer estabelecimento do contribuinte. Além disso, um passo importante e que deve ser prioridade é a empresa adaptar o seu sistema de faturamento para emitir a NF-e ou utilizar o “Emissor de NF-e” desenvolvido pela Secretaria de Fazenda do Estado de São Paulo, para empresas de pequeno e médio porte.

“Quem deixar de fazer a nota já cria contingências com o fisco. Vale destacar que a Nota Fiscal Eletrônica é obrigatória e não facultativa. É preciso que o empreendedor fique atento para implementar imediatamente o documento quando abrir um negócio”, alerta Mota.

Cada estado possui uma norma específica que regula a emissão da Nota Fiscal Eletrônica e, sendo assim, o contribuinte precisa ficar atento a cada especificidade. Para saber se há a obrigatoriedade da emissão, cada empreendedor deve consultar a norma interna dos fiscos estaduais disponíveis na internet. A pesquisa, lembra os consultores, deve ser feita através do código de Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) .

Por: Bruno Dutra

Fonte: Brasil Econômico

Leave a response »

O que você precisa saber sobre a Nota fiscal Eletrônica (NF-e)

admin : January 26, 2015 5:04 pm : DANFE, Nota Fiscal Eletrônica

NFE-nota-fiscal-eletronica-logoNão faz muito tempo que as Notas Fiscais eram impressas em papel e mantidas em caixas e arquivos que ocupavam um espaço enorme — além de estarem expostas aos riscos de perecerem com o tempo, serem rasgadas e até mesmo falsificadas. Eis que veio a Nota Fiscal Eletrônica, ou NF-e, para solucionar muitos dos problemas enfrentados pelos departamentos contábeis e fiscais das empresas.

Buscando reduzir custos e otimizar o processo de consulta aos documentos que acompanham a circulação das mercadorias, a NF-e traz algumas peculiaridades que devem ser observadas por todo profissional que lida com esses documentos em seu dia a dia. Confira abaixo:

Emissão e armazenagem da Nota Fiscal Eletrônica (NF-e)

A emissão da nota fiscal eletrônica deve respeitar uma ordem numérica consecutiva crescente, sem intervalos, a começar do primeiro número sequencial, não sendo possível que haja duas com o mesmo número, ou que o número de uma nota fiscal cancelada seja reaproveitado para a emissão de uma nova NF-e.

A NF-e é um documento que possui existência apenas digital, ou seja, é emitido e armazenado de forma eletrônica através do programa emissor da Receita Federal. Não há necessidade de impressão das Notas Fiscais e armazenagem física, o que otimiza a questão de espaço nas empresas e confere uma segurança maior à guarda dos documentos.

Além disso, as notas eletrônicas devem ser mantidas pelo prazo de 5 anos, sendo indispensável a utilização de um sistema de confiança e que faça backups periódicos a fim de proteger as informações dos documentos.

Assinatura ou Certificação Digital

A validade, autoria e integridade da nota fiscal eletrônica está condicionada a uma Assinatura ou Certificação Digital. A Receita Federal disponibiliza um cadastro para que as pessoas físicas e jurídicas obtenham esta certificação para efetuar consultas e acessar os serviços oferecidos em seu portal. No entanto, para obter acesso às informações referentes aos documentos fiscais e assinar as NF-e é necessária a Certificação Digital disponibilizada pelo Portal da Nota Fiscal Eletrônica. Para se ter acesso às funcionalidades de ambos os portais, é preciso estar em dia com a renovação dos Certificados Digitais conforme as normas da Receita Federal.

Layout específico

A NF-e de modelo 55 é adotada nacionalmente e seu leiaute deve estar em conformidade com o que está estabelecido no Manual de Integração emitido pela Receita Federal.

Não confunda NF-e com DANFE

O Documento Auxiliar de Nota Fiscal (DANFE) corresponde à representação gráfica da nota fiscal eletrônica e, portanto, não pode ser confundida com esta. O DANFE acompanha o trânsito das mercadorias, é impresso em uma única via e contém as informações da chave de acesso (com 44 números), do código de barras utilizados para consulta aos documentos online e do protocolo de autorização de uso.

NF-e rejeitada pela SEFAZ

No caso de apontamento de erros pelo sistema no momento do registro da NF-e, quando esta for rejeitada, o documento deve ser corrigido e retransmitido para que, então, seja autorizado pela Secretaria da Fazenda. Caso esse procedimento não seja realizado, a numeração do documento rejeitado não ficará registrado na base de dados da Receita e, por representar uma quebra na sequência numérica dos documentos, deverá ser inutilizado para evitar erros e maiores problemas.

Impossibilidade de alteração da NF-e

Quando uma nota fiscal eletrônica é emitida de forma errada, não há como fazer qualquer alteração em seu conteúdo. A solução, em determinados casos, é efetuar o seu cancelamento no sistema perante a Receita Federal e emitir um novo documento contendo os dados corretos.

Alternativas para a emissão da NF-e

Caso não seja possível emitir a NF-e através do programa próprio, outras alternativas estão à disposição, como SVC – Sefaz Virtual de Contingência, Evento Prévio de Emissão em Contingência (EPEC) e o Formulário de Segurança FS-DA, que devem ser utilizados em situações específicas e emergenciais.

Uma ótima forma de controlar a emissão dos documentos fiscais eletrônicos com segurança é utilizar um sistema que esteja parametrizado conforme as normas estabelecidas pela Receita Federal. Dessa forma, erros corriqueiros como o não preenchimento de campos obrigatórios, quebra na sequência numérica, cancelamentos e retificações, consulta ao documento fiscal, bem como outros erros poderão ser identificados pelo sistema de forma mais rápida e objetiva, otimizando o trabalho do profissional e assegurando uma base de dados confiável para a empresa.

fonte: Jornal Contábil

Sua empres tem problemas para emitir a Nota Fiscal Eletônica ou precisa de um nova solução para emissão da DANFE? Entre em contato com a GB, líder no mercado brasileiro em soluções de impressão desde 1995:

GB Network & Print
TEL: (11) 5535-4857
EMAIL:
comercial@gbnet.com.br
skype: gbnetwork

Leave a response »

Mais de 57 mil empresas em Mato Grosso têm 2 meses para implantar nota fiscal eletrônica

admin : January 8, 2015 9:13 am : DANFE, Nota Fiscal Eletrônica, Notícias

Os empresários mato-grossenses que ainda vão se enquadrar na Nota Fiscal Eletrônica (NFC-e) terão mais dois meses para implementar o sistema e regularizar as operações. A nova data é dia 28 de fevereiro e a alteração da regra abrange diretamente os micros empresários.

As empresas que tiveram faturamento no exercício anterior a R$ 120 mil ou que, em início de atividade, tenha expectativa de faturamento médio mensal inferior a R$ 10 mil poderão continuar emitindo a Nota Fiscal de Venda a Consumidor modelo 2 ou EFC. Entretanto, se já tiverem usando o NFC-e estarão impedidos de utilizar modelo 2 e EFC. Em Mato Grosso são mais de 70 mil empresas, apenas 13 mil estão credenciadas na Nota Fiscal Eletrônica (NFC-e), informa a assessoria da CDL Cuiabá. O tempo necessário é de 45 a 60 dias para implantar o novo sistema – comprar o equipamento (computador e impressora) treinar os funcionários, registrar o produto e fazer a adaptação ao sistema da Secretaria de Fazenda.

fonte: Só Noticias

Leave a response »

Estabelecimentos serão obrigados a emitir nota fiscal eletrônica no Pará

admin : January 7, 2015 9:11 am : DANFE, Nota Fiscal Eletrônica, Notícias

Nota fiscal eletrônica será obrigatória para mais de 760 lojas.

Portaria vale para quem efetue vendas à pessoa não contribuinte do ICMS.

notafe-paraUma portaria publicada pela Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa) no Diário Oficial do Estado traz a Instrução Normativa nº 28/14, que regulamenta a utilização da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica, modelo 65. Com a portaria, a partir de 1º de junho de 2015 será obrigatória, para 767 estabelecimentos comerciais, a emissão de Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e) no Pará.

De acordo com a Sefa, a obrigatoriedade vale para estabelecimentos que efetuem venda ou fornecimento de mercadoria à pessoa natural ou jurídica não contribuinte do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS). Os demais estabelecimentos serão obrigados a emitir NFC-e a partir de junho de 2016. A obrigatoriedade de emissão de NFC-e exclui o Microempreendedor Individual.

A emissão da NFC-e poderá ser feita concomitante com a Nota Fiscal de Venda a Consumidor ou Cupom Fiscal, pelo prazo de seis meses, contados a partir da data do efetivo credenciamento da emissão à NFC-e, pelos estabelecimentos credenciados à emissão da Nota, de ofício ou voluntariamente.

Esgotado o prazo da emissão concomitante, os contribuintes deverão devolver, no prazo de 30 dias, os blocos ou formulários de Nota Fiscal de Venda a Consumidor não utilizados à Coordenação Especial ou Regional da Sefa da sua circunscrição, para serem cancelados.

“A emissão da Nota Fiscal de Venda a Consumidor, modelo 2, ou do Cupom Fiscal, após o prazo estabelecido pela Instrução Normativa, tornará os documentos inidôneos”, explica o coordenador do Projeto NFC-e no Pará, José Guilherme Koury, auditor de receitas estaduais. A Sefa estabele ainda que a partir da data de credenciamento à emissão da NFC-e será vedada a concessão de autorização de uso de equipamento Emissor de Cupom Fiscal.

fonte: G1

Leave a response »

A tendência de um modelo único nacional para o documento fiscal eletrônico do varejo

admin : December 17, 2014 3:30 pm : DANFE, Dúvidas, NFC-e, Notícias

A expansão da Nota Fiscal do Consumidor eletrônica (NFC-e) pelo Brasil é evidente. Desde a emissão das primeiras NFC-es obrigatórias no Amazonas e Mato Grosso, diversos estados passaram a aderir ao novo documento fiscal eletrônico do varejo. Com isso, muitos lojistas estão constatando na prática as vantagens trazidas pela NFC-e, como a redução de custos e a agilidade nos processos.

A redução de custos ocorre principalmente com a dispensa do equipamento Emissor de Cupom Fiscal (ECF), de homologações e lacres. Também há uma significativa economia de papel, já que o novo modelo permite a impressão de um comprovante ecológico.

Para o consumidor, os benefícios também são inúmeros. Ele tem mais segurança, pois a NFC-e possui um QR-Code (código de barras bidimensional) lido por qualquer smartphone, que permite a verificação da validade e autenticidade da transação comercial; e ainda traz a possibilidade de receber o DANFE da NFC-e por e-mail ou SMS. A agilidade no atendimento também tende a ser uma vantagem para quem faz as compras. Com a possibilidade de impressão dos comprovantes de qualquer impressora (térmica ou laser) o pagamento pode ser realizado em mais pontos da loja. Além de redesenhar o tradicional layout do ponto de venda, a mudança também promete acabar com filas de espera para pagamento.

Apesar de todas as vantagens esperadas com a implantação da NFC-e ela ainda não é o modelo único. Alguns estados já estabeleceram a obrigatoriedade da NFC-e, outros aderiram ao projeto piloto, mas há casos em que o documento ainda não foi determinado e também, a situação específica de São Paulo, onde a obrigatoriedade é para o uso do sistema SAT CF-e (Sistema Autenticador e Transmissor do Cupom Fiscal eletrônico).

Essa falta de padrão faz com que as empresas com filiais em mais estados, precisem preparar alternativas diferentes em seus sistemas de gestão e vendas. Essa diferenciação não é nada interessante, já que acarreta mais custos e maior tempo para a adaptação.

Por conta disso, acredito que no futuro, os estados adotem um modelo de documento unificado. A tendência atual é que a NFC-e seja este modelo, pois já está definida como a opção da maioria dos estados. A abordagem única seria muito importante, pois teria reflexo direto para o empresário varejista, que teria menos custos de implantação e de manutenção e um processo uniforme em todas suas operações de varejo.

Hoje em dia, seja qual for o segmento, redução de custos e agilidade são sempre fatores primordiais para o sucesso dos negócios.

FONTE: SEGS

Leave a response »

Prefeitura de Porto Alegre implanta nota fiscal de serviços eletrônica

admin : November 26, 2014 9:48 am : DANFE, Nota Fiscal Eletrônica, Notícias

A Prefeitura de Porto Alegre lançou nesta segunda-feira (17) a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e). A partir de agora, as empresas contribuintes do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN) que atuam na capital estão aptas a fazer a emissão das notas pelo novo sistema, implementado em parceria com o governo do Rio Grande do Sul.

notafiscal-porto-alegreO lançamento foi feito pelo prefeito José Fortunati e pelo secretário municipal da Fazenda, Jorge Tonetto. No ato, foram apresentados a Nota Legal Porto e o site pelo qual as empresas prestadoras de serviços podem emitir a nota fiscal e onde também consta o passo-a-passo para emissão, bem como a lista das empresas que devem se cadastrar neste momento, informações sobre datas de adesão, documentação, benefícios, dúvidas frequentes e contatos com a Secretaria da Fazenda.

O novo sistema começa a operação com 31 empresas já selecionadas. A partir de 5 de janeiro de 2015, haverá o credenciamento de mais empresas por atividade econômica, com inclusão de segmentos também a partir de 1º de fevereiro e 1º de março de 2015.

A Nota Legal é também um programa de estímulo aos cidadãos para que solicitem o documento com CPF, quando contratarem serviços junto aos estabelecimentos credenciados. Entre eles, academias, escolas particulares, lavanderias, creches, colégios, faculdades, cursos de idiomas, construtoras, conserto de eletrodomésticos, cabeleireiros, hotéis, oficinas mecânicas. O sistema deve gerar até o final de 2015 entre R$ 65 mil e R$ 70 milhões para o município, segundo projeção da Secretaria Municipal da Fazenda.

fonte: G1

Leave a response »

Nota Fiscal Eletrônica será obrigatória dentro de três meses em Santos, SP

admin : November 19, 2014 9:30 am : DANFE, Dúvidas, Nota Fiscal Eletrônica, Notícias

Medida visa propiciar mais agilidade para a fiscalização municipal. Adesão ocorrerá de forma escalonada, em até um ano.

nota2Dentro de três meses, a Nota Fiscal de Serviços Eletrônicos (NFS-e) passará a ser obrigatória em Santos, no litoral de São Paulo. O decreto sobre o novo sistema foi publicado na edição desta terça-feira (11) do Diário Oficial. A medida visa garantir maior agilidade, economia e eficiência na administração do imposto sobre serviços. A adesão ocorrerá de forma escalonada, em até um ano, para todos os prestadores de serviços do município, salvo exceções.

As funcionalidades e obrigações tributárias referentes à emissão da NFS-e obedecem ao Código Tributário do Município e ao regulamento sobre o Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza. A Nota Fiscal Eletrônica deve trazer maior agilidade para a fiscalização municipal, no uso do sistema e cruzamento de dados, facilitando o trabalho das contabilidades.

O sistema também ajudará a evitar fraudes, como o espelhamento, valores diferentes em cada via da nota. Por ser eletrônica, todas as informações ficam arquivadas e o acesso a esses dados passa a ser mais rápido.

Para solicitar a NFS-e, é preciso acessar o site portal.gissonline.com.br. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3201-5025.

fonte: G1

Leave a response »

A impressão e emissão de DANFEs (nota fiscal eletrônica) é um problema na sua empresa?

admin : October 30, 2014 10:11 pm : DANFE, Nota Fiscal Eletrônica, Produtos e Soluções

Faça o teste. Responda as questões abaixo. Se você responder SIM a pelo menos uma das perguntas, este artigo é para você.

  • A impressão de DANFE na sua empresa é muito lenta?
  • Você tem problemas de gargalo no faturamento por conta da velocidade de impressão?
  • Caminhões ficam parados nas docas de seu armazém porque o DANFE ainda não foi impresso?
  • Sua empresa precisou reduzir a qualidade do logotipo que aparece na DANFE para aprimorar a impressão, deixando-o reticulado?
  • A área de faturamento fez um upgrade de impressoras para equipamentos mais velozes e com mais memória, mas ainda assim a impressão de DANFE é lenta?
  • Equipamentos com velocidade nominal de impressão de mais de 50 páginas por minuto imprimem DANFEs à razão de 15 páginas por minuto ou menos?
  • Sua empresa investiu milhares de reais no SAP ou outro ERP de grande porte, e tudo funciona bem, mas na hora de imprimir um DANFE o sistema parece uma carroça?

Esses problemas são mais comuns do que se imagina!

Vamos entender a origem do problema?

danfe_gbAntes da Nota Fiscal Eletrônica não havia DANFE. A área de faturamento fazia a impressão de Nota Fiscal, em várias via, em uma impressora matricial. Apesar de haver uma manipulação excessiva de papel, por conta da remalina, separação de vias, etc., a impressão parecia ser mais rápida. O que aconteceu?

O DANFE contém diversos itens gráficos, como o logotipo da empresa, as tabelas, bordas e às vezes sombras, eventualmente marcas d’água e o código de barras. Na antiga impressão de Nota Fiscal na matricial, todos esses elementos estavam pré-impressos. A impressora precisava receber apenas caracteres de texto, com isso não havia sobrecarga de rede e a impressora trabalhava sem esforço.

No caso do DANFE isso não ocorre. As folhas são brancas. A impressora precisa processar todos os elementos citados, e se isso não for preparado de uma maneira otimizada, a impressão sofrerá com perda de desempenho e velocidade.

Mas existe solução? Claro!

A GB Network & Print tem dezenas de casos de sucesso no mercado onde resolveu severos problemas de impressão de DANFE.

Os clientes a seguir são algumas das companhias que usam formulários PCL desenvolvidos pela GB para impressão de DANFE:

  • Grupo Abril;
  • Nestlé;
  • Caterpillar;
  • Pandurata (Bauducco, Visconti, Hershey’s);
  • B2W (Submarino, Americanas.com. Shoptime).

E como funciona essa tecnologia?

Na verdade é relativamente simples. A GB, especialista em programação PCL, desenvolve arquivos digitais que ficarão residentes (salvos) dentro das impressoras. Na rede corporativa vão circular apenas arquivos texto, muito parecido com o que ocorria com as impressoras matriciais. E a área de TI deverá incorporar alguns comandos PCL no arquivo de impressão, sob a orientação da GB.PCL_diagram_big

Se interessou e quer saber mais?

Marque uma visita ou faça um contato telefônico com os especialistas! A GB vai ajudar vocês!

GB Network & Print
TEL: (11) 5535-4857
EMAIL:
comercial@gbnet.com.br
skype: gbnetwork

Leave a response »

Micro e pequenas empresas têm de informar impostos ao consumidor

admin : October 8, 2014 7:13 pm : DANFE, Dúvidas, Nota Fiscal Eletrônica, Notícias

Brasília – Desde a segunda-feira (6), micro e pequenas empresas precisam informar os percentuais dos impostos federal, estadual e municipal que incidem sobre seus produtos e serviços. Essa determinação está prevista na Lei do Imposto na Nota – lei 12.741, de 2012. O Sebrae e a Secretaria da Micro e Pequena Empresa disponibilizaram em seus portais uma planilha que calcula o percentual dos impostos que devem ser divulgados pelas micro e pequenas empresas.

noticia_93447

A Lei do Imposto na Nota foi criada para informar ao cidadão o quanto representa a parcela dos tributos que paga a cada compra realizada. Ela foi regulamentada pelo Decreto nº 8.264, de 5 de junho de 2014. Segundo a lei, devem ser divulgados sete impostos que influem na formação dos preços de mercadorias e serviços: ICMS, ISS, IPI, IOF, PIS/Pasep, Cofins e Cide. Para os Microempreendedores Individuais (MEI), a divulgação dessas informações é facultativa.

Na Internet, o empreendedor pode baixar uma planilha que calcula os percentuais, já organizados de acordo com o tributante, conforme determinado pela lei (União, Estado e Município). Além desse cálculo, a ferramenta permite a geração de um cartaz, que pode ser afixado em local visível do estabelecimento comercial e representa uma alternativa à inclusão desses dados nas notas fiscais.

O Sebrae e a Secretaria da Micro e Pequena Empresa recomendam que os empreendedores também busquem orientações junto a seus contadores. No caso das empresas que já emitem nota fiscal eletrônica, a adaptação imediata à lei é simples. Basta inserir um campo adicional na nota fiscal com essas informações, o que deve ser solicitado à fabricante do software.

Leave a response »

Como aumentar a velocidade da impressão do DANFE e emissão da Nota Fiscal Eletrônica?

admin : October 2, 2014 5:29 pm : DANFE, Dúvidas, Nota Fiscal Eletrônica, Produtos e Soluções

Passados alguns anos da obrigatoriedade da emissão de Notas Fiscais por meio eletrônico (NF-e) , muitas  empresas ainda tem problemas com o processo de emissão do DANFE,principalmente com a lentidão na sua impressão.

Isso ocorre porque a grande maioria dos sistemas de emissão de Nota Fiscal Eletrônica e Sistemas de Gestão/ERPs não foram otimizados na hora de imprimir. O resultado são impressoras que deveriam imprimir 50 ou 60 páginas de Danfe por minuto imprimindo no máximo 5 páginas por minuto ou menos que isso.

Por que isso acontece?danfe_abril_sample_thumb

O formulário de DANFE é um documento composto de diversos itens gráficos:

  • Tabelas com bordas e sombras;
  • Logotipos e imagens;
  • Código de Barras;

O arquivo de impressão gerado pelo sistema de ERP ou sistema de impressão de NF-e (Nota Fiscal Eletrônica) geralmente é gráfico, fazendo com que seu tamanho seja muito maior que preciso e, causando assim, a lentidão na hora de imprimir.

Para solucionar esses problemas a GB Network & Print oferece a solução, convertendo o DANFE para a linguagem PCL.

PCL_diagram_big

Alguns benefícios dessa solução:

  • Desempenho: A impressão das Notas Fiscais (DANFE) será feita na velocidade máxima da impressora;
  • Segurança: Todos os itens gráficos estarão armazenados na impressora laser ao invés de serem enviados a cada página pelo sistema ERP;
  • Redução no tráfego de rede: os arquivos de impressão de NF-e serão basicamente texto e  terão tamanhos muito menores, em geral inferiores a 5KB por página,;
  • Gestão: A administração dos formulários pode ser feita de maneira remota;
  • Maximização dos recursos: As impressoras laser podem armazenar arquivos PCL de diferentes layouts e não apenas de DANFE (exemplo: Boleto Bancário), podendo conter centenas ou milhares de formulários, logotipos e códigos de barras diferentes;

As empresas abaixo são exemplos de casos de sucesso da GB, aonde o problema de lentidão da impressão da Nota Fiscal Eletrônica foi solucionado com a nossa solução de DANFE em PCL. Clique no logo das empresas para ver maiores detalhes sobre o caso de sucesso:

400px-Editora_Abril_logo_1990.svgASTAR-Nestle-To-Boost-Food-Nutrition-RD-In-Singapore

Clique aqui e conheça mais sobre o sistema ideal para sua empresa ou entre em contato com a GB:

GB Network & Print – “20 anos transformando dados em informação”
TEL: (11) 5535-4857
EMAIL:
comercial@gbnet.com.br
skype: gbnetwork

Leave a response »
« Page 1, 2, 3 ... 7, »

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *


8 − = two

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>